Confirma-se!

O filme de que falámos ali é bom. É um filme que não mente, não omite e não tem meias palavras. Gostei muito. Aquilo de que ninguém nos fala ou, se fala, não parecemos disponíveis para escutar. Antes, durante e depois do parto. O respeito pela individualidade. Enquanto mulher, parturiente, mãe. E na relação com … Continuar a ler

A melhor coisa do mundo?

  Parece que vem lá um filme que é a cara do 30 e Picos!! (Não posso assegurar porque ainda não vi!) E talvez não venha sozinho, que a Festa do Cinema Francês acena com um bom cartaz, um pouco por todo o país, ou, bom, por Lisboa, Almada, Faro, Porto, Coimbra e Guimarães (e … Continuar a ler

Está aí alguém?

Tenho andado caladinha não porque queira mas porque não tem havido como não o fazer… Algumas coisas mudaram, outras continuam exactamente na mesma. O meu trabalho agora é outro e um dia destes explico em que consiste e na ginástica mental que tenho que fazer para o realizar, mas, enfim, é trabalho e alimenta-nos… Já … Continuar a ler

Dooce – Não é Pera Doce!

A quem lê bem inglês não posso deixar de aconselhar vivamente este “It Sucked and Then I Cried” e o blog (agora site) da sua autora que exigirá disponibilidade para ver/ler anos e anos de posts de todo o género, numa escrita muito própria que a tornaria uma das figuras mais importantes na blogosfera americana. … Continuar a ler

“The Rebound” – Começar de Novo

Está em sala um filminho que data já de 2009 mas só agora chegou cá, vá-se lá saber porquê, originalmente intitulado de “The Rebound” e por cá traduzido para “Amor ao Acaso” (!! – mas porquê??!!) com a Zeta Jones e um Justin Bartha que talvez conheçam de “A Ressaca”. Ora a premissa é a … Continuar a ler

Tiro no pé

Hoje convido-vos a dar um salto ali ao meu outro blog para ler o pequeno apontamento em forma de post sobre uma das questões que me é mais querida e nunca demasiadas vezes abordada (até porque muito longe de estar resolvida). E não deixem de ler o post que linko, que originou este meu de … Continuar a ler

Entre o céu e…

Nem sempre se pode ler coisas bem escritas sobre o assunto (a “parentalidade”), francas e despudoradas, como esta aqui de Jeff Atwood (a quem me segue no outro blogue peço desculpa pela repetição). As pessoas têm muito medo de falar abertamente das coisas e há sempre uns últimos redutos… Lado a lado com isso, achei … Continuar a ler