Ahahah! Salut!

A sério que vim aqui a correr, só para partilhar convosco a delícia deste site que é o Reductress, um jornal satírico feminista (talvez seja uma boa definição), assim uma espécie de “Inimigo Público” ou “The Onion”, mas temático. E para verem logo a maravilha que é, partilho este postzinho, dedicado… bem, dedicado àquela malta … Continuar a ler

Lost in Living – emissão gratuita, hoje, Dia Internacional da Mulher

E aqui vos deixo, sem mais demoras (e um bocadinho mais cedo), o Lost in Living, filme de Mary Trunk. “Atrás da cortina doméstica da maternidade, onde o impulso criativo pode florescer ou definhar, estão 4 mulheres determinadas a tentar e conseguir. Filmado durante sete anos, Lost In Living mostra o conflito na coexistência de … Continuar a ler

Lost in Living, o filme, aqui.

Para os que me acompanham há já algum tempo, aqui ou noutros blogues, o Lost in Living não é novidade. Eis que surge, finalmente, a possibilidade de o ver, aqui, no sábado, dia 8 de Março, a partir das 0 horas (meia-noite)* ou, talvez, um pouco mais cedo. No Dia Internacional da Mulher, o 30 e … Continuar a ler

Depressão – Andrew Solomon explica.

  Voltaremos a este assunto. Até lá, urge que vos deixe isto. Esta conferência, esta TED talk, é preciosa. Se estão familiarizados com o tema, vão adorar. E reconhecer uma série de nuances e subtilezas, em várias coisas que ele diz, que sabem que nem toda a gente compreende e que fizeram (ou podem vir … Continuar a ler

Tom Yorke (Radiohead), John Hamm (Madmen) e outros, conselheiros do amorrr (e outros vídeos).

Ok, ok, ok. Isto é genial. A revista Rookie, dedicada a adolescentes, criação daquela miúda de quem pensava já vos ter falado aqui (mas final foi ali), resolveu criar um consultório sentimental em que os conselhos são dados por pessoas crescidas e, hum, famosas. Ídolos de miúdos e graúdos, pessoas que são admiradas e muitas … Continuar a ler

A tristeza e a gravidade

(Post com delay (atraso!*) de cerca de 18 dias, mais coisa, menos coisa) Longe do elogio da tristeza de bloggers e poetas bucólicos/ românticos. Da apologia da tristeza, da melancolia. É tudo muito bonito, excepto quando provoca sofrimento e se insiste nessa espiral centrípeta. Lembro-me de quando, há uns anos atrás (tudo agora parece tão … Continuar a ler