Tirania da Juventude

Há pouco no FB, enquanto fazia scroll pelo feed de notícias detive-me num anúncio de um concurso de ideias promovido por uma Câmara Municipal com uma Associação de Jovens… O concurso pedia “Ideias realmente boas” e o limite máximo de idade dos participantes impunha-se nos 30 anos (quando era miúda o Cartão Jovem atestava a … Continuar a ler

As rugas ficam-vos tão bem!

Escrevo-vos metida na cama a curar uma gripalhada que já vai no terceiro dia e nada… Ontem à noite enquanto decorriam os óscares eu dormia, que depois tudo se resume em poucos minutos de manhã. Ainda espreitei o tapete vermelho numa transmissão ao vivo pela internet, de computador no colo, e é mesmo mais sobre … Continuar a ler

Kevin, Kevin, anda cá!

Normalmente de manhã, quando vou levar as minhas miúdas à escola (de carro porque escolhi uma escola loooonge de casa), alternamos entre a Radio Marginal ou a Europa Lx e a Radio Comercial. As duas primeiras vão dando a música que tolero pela manhã e a última conta com a graça da equipa das manhãs … Continuar a ler

Nada Estúpido, Muito Louco, Amor

E pronto, fui outra vez ao cinema e vim deliciada. Crazy, Supid, Love é um filme muito esperto e, coisa que vai rareando, honesto. Ao contrário do outro que me desapontou na semana passada, sendo certo que se inserem em universos diferentes, “Amor, Estúpido e Louco” faz uma óptima utilização dos meios de que dispõe … Continuar a ler

Geração Jim Henson

Nenhuma outra geração foi, como a nossa, a geração Jim Henson. Começámos a crescer com o “Abre-te Sésamo” (depois Rua Sésamo), continuámos com “Os Marretas” e ainda delirámos com “Os Faggles”! Isto deixa marcas irreversíveis na formação de uma pessoa! Eu olho para essa imagem que aí está do Cocas a olhar para a fotografia … Continuar a ler

A correr!

Hoje na Cinemateca, às 21:30. “Se uma das coisas que se costuma dizer sobre Cassavetes é que ele filmava pessoas “normais” (por oposição às pessoas “extraordinárias” filmadas em Hollywood) então este filme representa um ligeiro desvio. Em “A Woman Under the Influence” a questão é, justamente, a “normalidade”, a sua essência e os seus limites, … Continuar a ler

Urgência

O resto pode esperar. Se são esteticamente impressionáveis, se vos comove o talento, a expressão, o sentimento… a beleza, a música, a poesia. A dança, o corpo, o rosto… a dor, o amor, a alegria… vão! Amanhã e 4ª no El Corte Inglés, às 19h e/ou amanhã no Algarcine, Cinemas de Olhão, às 21:30. Noutros … Continuar a ler

Transcendental

Swing, ou se tem ou não se tem. Tal como o talento e aquele toque sublime e transcendental que só alguns possuem e que os tornam maiores que eles próprios. A primeira vez que ouvi a Amy Winehouse foi no “Diário de Bridget Jones”, de cuja banda sonora comprei o CD. Muito por causa do … Continuar a ler